Empreendedorismo Feminino. Você pode fazer o que quiser!

As mulheres sempre estiveram presentes e atuantes no mercado de trabalho, e que mudou no cenário atual, é que não aceitam mais papéis secundários e sim tomando decisões mais importantes, se posicionando na condição de protagonistas das suas próprias histórias.

O dia 8 de março se comemora o Dia Internacional da Mulher. Atualmente, a data é comemorada em mais 100 países – como um dia de protestos transformado numa suave celebração feminina. Diferente de outras datas comemorativas, ela não foi criada pelo comércio e nem para ser um dia movido ao capitalismo. Desde o dia que foi criada, em 1975, é lembrada como um dia para reivindicar igualdade de gênero. Tivemos algumas conquistas, pois já podemos ver mulheres em cargos onde só os homens ocupavam; mulheres que trabalham, que estudam e que têm suas próprias empresas. 
 
O perfil atual da mulher brasileira passou por diversas mudanças socioeconômicas nas últimas décadas. Hoje, a população feminina predomina no país, vive mais, engravida mais tarde, acumula mais anos de estudo, lidera as estatísticas de formação profissional e tem sido cada vez mais, a responsável pelo sustento no lar. Em três séculos, especialmente nos últimos 50 anos, obtiveram conquistas em variados espaços e segmentos. Com as revoluções culturais e a força do movimento feminista no século XX, novas configurações sociais foram surgindo, enfraquecendo o modelo homem provedor à mulher cuidadora. 
 
As mulheres sempre estiveram presentes e atuantes no mercado de trabalho. O que mudou no cenário atual, é que não aceitam mais papéis secundários e sim tomando decisões mais importantes, se posicionando na condição de protagonistas das suas próprias histórias. 
 
As mulheres buscam ter as mesmas oportunidades que os homens. Mediante isso, entra em cena o empreendedorismo feminino. 
 
Ao entrarem no mercado de trabalho como novas empreendedoras, as mulheres trazem uma visão diferenciada para um meio muito competitivo. Estas, possuem características próprias que facilitam o desenvolvimento empreendedor. 
 
Além desses atributos particulares, o empreendedorismo feminino tem o aspecto das mulheres que buscam mais informações sobre o setor em que querem abrir o seu negócio. Além disso, procuram mais os serviços de atendimento ao empreendedor do que os homens. 
 
As mulheres também são mais dispostas a buscar qualificação. Há o dobro de mulheres empreendedoras com ensino médio completo em relação aos homens. 
 
Apesar de estar em constante crescimento no Brasil e no mundo, o empreendedorismo feminino ainda encontra barreiras para poder evoluir exponencialmente dupla jornada, preconceito e restrição de crédito. 
 
O SEBRAE aderiu aos ‘Princípios de Empoderamento das Mulheres’, estabelecido pela ONU Mulheres e Pacto Global das Nações Unidas, com a finalidade de compartilhar poder às mulheres para que participem de forma plena em todos os setores e níveis na economia brasileira. 
 
Com essa decisão, o SEBRAE passa a integrar um grupo de mais de 170 entidades públicas e empresas que incorporam em seus negócios valores e práticas que visam à equidade de gênero e a consolidação do papel das mulheres na sociedade e na economia. Hoje, as mulheres representam 24 milhões de empreendedoras no Brasil, número pouco inferior ao universo masculino, que é de 25,4 milhões. No entanto, entre os pequenos negócios iniciados nos últimos três anos e meio, elas lideram o ranking, com 14,2 milhões; os homens somam 13,3 milhões. O dado adverso indica que elas continuam recebendo remuneração menor que os homens, apesar de serem mais escolarizadas. 
 
No estado do Amapá, por meio de projetos que o Sebrae desenvolve, há investimentos em inovações como diferencial competitivo na trajetória de micro e pequenas empresas amapaenses, e as mulheres se destacam consideravelmente: 
 
Na arte de inovar na cozinha e nos negócios, Maria do Perpetuo Socorro é assim, uma artista por natureza. Desde criança já fazia os gostos da família com seus doces e salgados de sabor inigualável, cresceu para ser uma empreendedora e através de seus sonhos de menina tornou realidade quando abriu a lanchonete Divina Arte. 
 
O empreendedorismo deu tão certo, que hoje, Maria já conta com uma estrutura completa de restaurantes, cozinha industrial e uma equipe de 50 funcionários, gerando assim mão-de-obra local. A empreendedora se tornou empresaria de sucesso e encontrou no Sebrae um meio seguro de manter seu negócio em alto padrão de atendimento e inovação, procurou capacitações para toda a equipe e conseguiu qualificação profissional. 
 
Outro caso de sucesso com apoio do Sebrae foi o Flora Restaurante, com um aumento de 85% em qualidade de atendimento. Floraci Pacheco Dias, se destacou como participante assídua dos eventos promovidos pelo Sebrae como o Festival Degust Amapá e Brasil Sabor. Não descuida da qualificação profissional na arte de cozinhar e também das atividades gerenciais e comportamentais, aprimoradas pelos eventos promovidos pelo projeto Alimentação Fora do Lar, futuramente a empresaria destaca planos ambiciosos para o sucesso. 
 
No caso de sucesso de Aldaleia do Socorro da Trindade, que recorreu ao Sebrae num momento de muita indecisão. Atuava no segmento de alimentação, atendia ao público com refeições para almoço e pizza à noite, além disso, tentava iniciar a cozinha industrial para empresas, para fornecer refeições coletivas. Mesmo formada em contabilidade e apesar do sonho de ter um comércio, não estava conseguindo trabalhar de forma organizada. Buscou ajuda do Sebrae e aderiu ao projeto onde começou a enxergar a empresa, despertando suas habilidades gerenciais. Realizou diversos cursos e entendeu que não bastava ser boa profissional para ter sucesso, era preciso uma gestão financeira, reduzir desperdício e promover o reaproveitamento. 
 
Com a melhoria na gestão, vieram os lucros e a possibilidade de ampliar o espaço e estruturar os serviços prestados. A segurança profissional se elevou com o reconhecimento, participou do concurso de gastronomia Enchef´s e ficou entre as três primeiras colocações no universo de 40 participantes com uma receita de peixe regional. Seus planos para o futuro é investir em qualificação e parceria com Sebrae. 
 
O que você não pode esquecer é que VOCÊ PODE FAZER O QUE QUISER! Nada e ninguém pode dizer que você não é capaz e que você não consegue. Vamos continuar lutando para conquistar nossos direitos e a igualdade de gênero. Não queremos tomar lugar de ninguém, só queremos ser respeitadas!