Inovação

Centro de Inovação do Empreendedor apoiará pequenos negócios no Ceará

O espaço, lançado nesta segunda-feira (5) pelo Sebrae/CE, conta com a parceria da Associação Catarinense de Tecnologia (Acate), e deve impactar na economia do estado

Para fomentar o empreendedorismo inovador e conectar os principais projetos e atores do ecossistema de inovação, o Sebrae no Ceará lançou, na tarde desta segunda-feira (5), o Centro de Inovação do Empreendedor. A iniciativa ocorre em parceria com a Associação Catarinense de Tecnologia (Acate), referência no país na articulação e fomento de ecossistemas de inovação.

“O Sebrae está dando um grande salto com essa iniciativa. O momento é propício para isso. Estamos no meio de uma grande pandemia, mas temos que pensar um pouco no futuro. Ao sairmos disso, precisamos que as pessoas possam desenvolver as suas ideias”, apontou Ricardo Cavalcante, presidente da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec) e presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae Ceará. “O momento é muito importante para o Sebrae. Precisamos dar passos sempre à frente”, acrescentou.

Para Joaquim Cartaxo, superintendente do Sebrae/CE, o Centro de Inovação desencadeará desenvolvimento ao Ceará, ajudando especialmente as micro e pequenas empresas. “Estamos vivendo em um movimento hiper veloz. O Centro cumprirá essa profecia, permitindo mais desenvolvimento ao estado. A proposta do Sebrae é que o Centro contribua com a inovação, tecnologia e economia criativa”, ressaltou. “Temos duas metas de 80% de ocupação, no primeiro ano, e de 100% no segundo ano”, complementou Cartaxo.

Preparação

De acordo com Bruno Quick, diretor técnico do Sebrae/NA, o avanço no trabalho em rede torna-se essencial para desencadear bons resultados posteriormente. “Precisamos usar os nossos espaços e equipamentos para preparar os empreendedores para a nova realidade. Nesse contexto, o grande desafio dos líderes é a boa leitura da realidade e da necessidade. Ações como essa fazem com que o trabalho seja real”.

Paulo Alvim, secretário de Empreendedorismo e Inovação (Sempi), do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, indicou a necessidade de levar a inovação às empresas. “É fundamental que os bons exemplos, como a criação do Centro, se multipliquem. O país precisa muito de inovação, principalmente no momento de pós-pandemia, com a aceleração digital”, ressaltou.

Fases

O processo de elaboração do Centro de Inovação do Empreendedor inclui três fases: entendimento, design e materialização. “A primeira agrega a necessidade de conhecer o Ceará com profundidade. Ao englobar a projeção do espaço, a segunda etapa também levanta os projetos que vão rodar. A última conta com a concretização e a ativação”, explicou Silvio Kotujansky, diretor de inovação e novos negócios na Acate - Associação Catarinense de Tecnologia. O novo centro deve funcionar no edifício anexo da sede estadual do Sebrae, na av. Monsenhor Tabosa, em Fortaleza/CE.

Segundo Daniel dos Santos Leipnitz, vice-presidente da Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec) e presidente do Conselho Deliberativo da Acate, a cultura da inovação é baseada no compartilhamento, colaboração e confiança. “Por meio do Centro de Inovação, dá para ganhar tempo por meio desses fatores. Um ajuda o outro. Relação de irmandade entre as entidades é importantíssima”.