Empretec

‘Empretecos’ emocionam plateia ao recordar primeiros passos

Antigos alunos, facilitadores e diretores regionais do Sebrae se reuniram na celebração de 25 anos da metodologia

O talk show com três empresários de sucesso que cursaram o Empretec foi o momento mais emocionante da celebração dos 25 anos da metodologia da ONU no Brasil, ontem à tarde (7/6), no 033 Rooftop Santander, em São Paulo. Para uma plateia de antigos alunos, facilitadores e diretores regionais do Sebrae, os “empretecos” falaram sobre as dificuldades do início e da importância do Empretec em suas vidas, muitas vezes sendo interrompidos por aplausos da plateia.

“O Empretec é empreendedorismo raiz, não é nutella não”, disse Lindolfo Martins, fundador da rede Multicoisas, arrancando gargalhadas do público. “Procurei o Sebrae quando decidi que queria abrir franquias. Buscava alguma coisa que pudesse despertar o espírito empreendedor nos meus futuros franqueados e quem saiu transformado foi eu”, contou. Lindolfo disse que ter conquistado o primeiro lugar como empresa-cria, quando integrava a turma de 1996 do Empretec, está entre os seus maiores orgulhos. “Ganhei vários outros prêmios, mas esse é especial. Na época, eu tinha 96 lojas. Hoje, são 296.”

Os três participantes da conversa entre “empretecos” procuraram seus antigos facilitadores na plateia para agradecer pelo empenho. Fundadora da Sorridents, Carla Sarni surpreendeu o público ao revelar que a rede de clínicas dentárias “praticamente faliu” em 2009. “Decidimos abrir 40 novas unidades, na esperança de um empréstimo do BNDES que nunca saiu. Fui dormir bem e acordei com uma dívida de R$ 23 milhões”, contou. “Posso dizer que o Empretec mudou não apenas o meu negócio, mas também a minha vida. Pois foi o que eu aprendi lá que me ajudou não só a expandir a Sorridents, como também a recuperá-la quando tudo foi abaixo.”

Darci Schneid, fundador da Sirtec Sistemas Elétricos, disse que a sua empresa “praticamente nasceu durante aqueles nove dias do Empretec”. “Tomei muita porrada durante o curso, coisas que mudaram a minha forma de pensar”, afirmou Schneid. “Estar aqui, nesta festa, é poder retribuir tudo o que o Empretec fez por mim.”

Os três “empretecos” foram convidados a eleger quais das dez Características Comportamentais do Empreendedor (CCEs), ensinadas no Empretec, foram mais importantes em seus negócios. “Acredito que o planejamento e monitoramento periódico foram as mais importantes, mas na verdade as dez funcionam juntas, como uma engrenagem”, ponderou o fundador da Sirtec.

Carla Serni disse ter dúvida quais das dez foram fundamentais, mas disse que a persistência e a busca por informação foram fundamentais em sua trajetória. “Foi no Empretec que aprendi a enxergar claramente os meus déficits”, contou. Lindolfo Martins também colocou a busca de informações como essencial, ao lado da persistência e do comprometimento: “Ainda mais hoje, com a realidade mudando muito rapidamente, é preciso estar muito bem informado o tempo todo.”