Empreendedor Social

Fossa ecológica evita degradação do meio ambiente e ajuda a economizar água e energia

Empresa do Distrito Federal cria a Ecofossa, sistema ecológico de tratamento de esgoto que reutiliza a água e não usa energia elétrica e produtos químicos

Foi tentando encontrar uma solução para a limpeza do local onde criava porcos que Cristiano Shedid teve a ideia de criar aEcofossa, um sistema de tratamento de esgoto totalmente ecológico e que está alinhado ao sexto dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), da Organização das Nações Unidas (ONU). O produto, que é fabricado em Brasília, faz toda a separação e transformação de matéria orgânica, além de ter como vantagens o fato de não utilizar energia elétrica ou substâncias químicas. Desde 2015, o Sebrae é parceiro da ONU no fomento aos negócios de impacto social e ambiental.

A Ecofossa é uma empresa brasiliense que surgiu por meio de um projeto na incubadora de empresas do Centro de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico (CDT) da Universidade de Brasília (UnB). Hoje ela tem sede no Distrito Federal e possui filiais em Goiás e na Bahia. “Nós trabalhávamos com suinocultura, quando vimos a necessidade de se fazer a limpeza”, conta Cristiano. “Procuramos a UnB e abrimos a indústria”, comenta. O empresário conta que, a partir disso, e durante 10 anos, a Ecofossa participou das Feiras do Empreendedor promovida pelo Sebrae em diversos estados brasileiros mostrando seu produto.

De acordo com a missão da empresa, o maior objetivo do desenvolvimento do projeto foi para diminuir o impacto da ação humana no meio ambiente, principalmente em relação à água. “O equipamento hoje é usado na indústria, no comércio, em hospitais, residências, hotéis, entre outros locais”, observa Shedid. “Nosso leque é bem variado”, acrescenta o empresário. A fossa ecológica produzida pela empresa é um sistema ecológico de tratamento do esgoto que aumenta a ação das bactérias sem usar energia elétrica ou produtos químicos, além de reduzir gastos com caminhões sugadores de fossas. Depois do tratamento, a água é devolvida ao meio ambiente e poderá ser reutilizada na irrigação de plantios, sem causar poluição.

Além da fossa ecológica, a empresa investiu ainda no Ecofiltro, um pós-tratamento que juntamente com a Ecofossa devolve para o meio ambiente uma água inócua. Com isso, o líquido com nutrientes pode ter sua infiltração diretamente no solo ou ser reutilizado até na irrigação de plantações, complementando a adubação do terreno. Tudo isso sem poluir os lençóis freáticos, perfazendo o ciclo natural. A empresa também trabalha com outros itens que não agridem a natureza, como: limpa fossa ecológico, caixa de gordura, separador de água e óleo, entre outros. Conforme a demanda do cliente, os produtos podem atender a todas as especificações da Agência Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e do Programa de Pesquisa em Saneamento Básico (Prosab) e Fundação Nacional de Saúde (Funasa).

Cristiano conta que a Ecofossa foi incubada pela UnB em 1990 e em 2015 a empresa foi convidada a se instalar no Centro de Desenvolvimento Tecnológico da própria universidade. Depois do DF, Bahia e Goiás, a empresa pretende expandir seus negócios para outras regiões do país, principalmente para áreas onde exista carência de saneamento básico. A conquista do mercado externo também está nos planos futuros da empresa.

Leias as outras matérias da Série:

1º ODS - Erradicação da Pobreza

2º ODS - Fome Zero e Agricultura Sustentável

3º ODS - Sáude e Bem Estar

4º ODS - Educação de Qualidade

5º ODS - Igualdade de Gênero