Agronegócio

Selo internacional faz crescer pedidos de exportação da Goiaba com IG, de Carlópolis, no Paraná

Grupo de produtores certificados tem enviado amostras da fruta, semanalmente, para países como Portugal, Holanda e Suíça

O selo Global G.A.P, certificação internacional que reconhece e atesta a segurança alimentar e sustentabilidade em produtos de origem agrícola, tem rendido bons negócios para os produtores de goiaba de Carlópolis, no norte pioneiro do Paraná. Desde a conquista, os produtores têm recebido uma série de pedidos de exportação de países europeus, asiáticos e da América do Norte. Ao mesmo tempo, outros mercados se abrem dentro do Brasil, que tem alta demanda pelo produto.

O resultado reflete no esforço dos produtores em buscar conhecimento para melhorar a gestão das propriedades e cultivar goiabas diferenciadas e com valor agregado. “Esse trabalho integra nossa principal missão, que é transformar o norte pioneiro em um território de produtos diferenciados para gerar desenvolvimento”, afirma o consultor do Sebrae/PR, Odemir Capello.

O registro de Indicação Geográfica (IG) – conquistado graças a um trabalho colaborativo entre produtores, Sebrae/PR e Prefeitura de Carlópolis - e a certificação internacional abriram as portas do mercado nacional e do exterior para a goiaba de Carlópolis. A partir dessa experiência e a do café especial, o Sebrae/PR trabalha para propor marcas coletivas e indicações geográficas de outras frutas produzidas no norte pioneiro, como o morango.

A produtora de goiaba e diretora comercial da Cooperativa Agroindustrial de Carlópolis (COAC), Inês Yumiko Sato Sasaki, conta que os pedidos por exportação da fruta aumentaram significativamente com a participação dos produtores em três feiras internacionais e da divulgação da goiaba de Carlópolis em um site de notícias europeu.  “Passamos a receber muitos contatos da Itália, Inglaterra, França, China, Portugal”, comemora.

Por meio de traders – empresas que fazem a intermediação de negociações e transações comerciais internacionalmente -, a cooperativa tem enviado as goiabas paranaenses para Portugal, Holanda, Suíça de forma recorrente. Ao mesmo tempo, a procura no mercado nacional é grande. “Nossa produção não está sendo suficiente. Ano passado foi de baixa produção, não estávamos conseguindo atender o mercado nacional”, afirma.

Carlópolis produz goiaba o ano todo graças ao sistema de poda total. O município é o maior produtor da fruta no Paraná e um dos maiores do Brasil. Segundo a Emater, cerca de 390 hectares são usados para o cultivo na área limitada pela indicação de procedência e o potencial de produção é de 23 mil toneladas por ano, em condições de clima normais. Porém, a baixa produção em 2020 ocorreu por conta da geada no ano anterior, que atrapalhou o sistema de podas.

“Além da geada, ano passado alguns produtores perderam muita goiaba pela chuva de pedra e outros sofreram com a seca. Então, tivemos alta produção em fevereiro e março e outra colheita apenas no fim do ano”, explica Inês. Ela conta que leva ao menos dois ciclos para que a produção, com poda o ano todo, volte ao normal. A previsão é que isso ocorra em 2021.

Mesmo com as dificuldades impostas pelo clima, a cooperativa comemora os resultados obtidos com a certificação. Além de comercializar a fruta lá fora por um preço melhor que o nacional, novos mercados se abriram e a goiaba de Carlópolis ganhou projeção mundial. “Os preços de exportação não têm altos e baixos, como no mercado nacional”, destaca.