Coronavírus

Startup desenvolve robô que utiliza IA para melhorar precisão de diagnóstico

Robô batizado de “Vics” ajuda a identificar lesões pulmonares em exames de imagem

Diante da pandemia, boa parte dos médicos e profissionais da área da saúde precisaram mudar o foco e trabalhar mais direcionados à criação de soluções e alternativas que pudessem ajudar a desvendar e tratar a doença. Em Cascavel, região oeste do Paraná, não foi diferente. A startup RDICOM, que trabalha desde 2017 com o arquivamento, comunicação e visualização de exames de imagem médicas na nuvem, facilitando o cruzamento de dados e digitalizando processos, desde fevereiro deste ano tem se dedicado ao robô “Vics”. A tecnologia conta com inteligência artificial e visa melhorar a assertividade no diagnóstico e na identificação de lesões pulmonares, causadas ou não pela Covid-19, por meio de exames de raio-x do tórax.

“O Vics é uma tecnologia pioneira no País, baseada no conceito da saúde 4.0, que dá mais agilidade e precisão aos diagnósticos”, explica o engenheiro de software e CEO da RDICOM, Robson Fagundes.

O robô foi amplamente testado, analisando imagens radiológicas de vários pacientes, e mostrou resultados significativos. Na detecção de pneumonia, por exemplo, demonstrou assertividade de 89%. Quando ao diagnóstico do novo coronavírus, o índice chegou a quase 97% de precisão. O robô também detecta os casos normais atingindo o índice de 99% de acerto.

Um dos sinais graves apresentados por pacientes com Covid-19 é a consolidação pulmonar, caracterizada pela substituição do ar alveolar por líquido, que gera lesões nos pulmões. Tal sintoma pode ser identificado por meio da análise de um raio-x torácico, porém, as imagens não dão precisão quanto à classificação das lesões – se foram causadas por vírus ou bactérias.

O Vics, segundo a RDICOM, foi “ensinado” a interpretar os exames radiográficos do tórax, identificando o tipo da consolidação para fornecer, de forma quase que instantânea, um parecer que poderá dar suporte ao médico.

“O robô foi treinado com a análise de mais de cem mil exames. Hoje, principalmente nos pequenos municípios, há muitos centros de saúde que não têm especialistas em radiologia ou pneumologia à disposição o tempo todo. Foi pensando nos médicos plantonistas que criamos o Vics: ele analisa a imagem e oferece um relatório de quais lesões pulmonares o paciente apresenta, ajudando no diagnóstico e indicação de tratamento pelos médicos”, relata Robson.

Em parceria com a secretaria de saúde de Cascavel, o robô já está à disposição dos profissionais que atuam nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAS) e, gradativamente, as equipes estão recebendo os treinamentos para utilizarem a tecnologia. O objetivo é que a novidade possa ser aplicada em outros municípios e que o Vics torne mais ágil o processo de triagem e identificação de pacientes que precisam de tratamentos ou exames complementares, mas, em nenhum momento, irá substituir a análise e o critério médico.

A startup participa de ações do Sebrae/PR desde o início e ganhou destaque em várias seletivas de tecnologia e inovação da região. Só no último ano, apresentou crescimento de mais de 220%. “A RDICOM é um exemplo de startup que nasce pronta para o mercado. O Robson já tinha a experiência e o contato com a área médica e conseguiu desenvolver soluções que realmente suprem as necessidades do setor. Com o robô Vics, abrem um novo mercado e consolidam a experiência com a saúde 4.0”, enfatiza o consultor do Sebrae/PR, Gabriel Caus.