Negócios

Selo abre novos mercados a pequenas empresas alimentícias paranaenses

Programa objetiva a melhoria de processos produtivos, aprimoramento da qualidade e da gestão

Com pouco mais de uma dezena de colaboradores, a Realeza Alimentos, de Cambé, na região norte do Estado, fornece nhoque de soja para a merenda escolar de mais de 60 prefeituras do Paraná e de São Paulo. “Crescemos e ganhamos mercado, mas, aos poucos, foram aparecendo as dificuldades de gestão de controles e processos”, conta Fernando Loureço, proprietário da empresa. A solução veio com a participação no Programa Selo Alimentos do Paraná. Agora, os planos do empreendedor incluem desbravar outro mercado: o varejo. 

A Realeza integra um grupo de empresas paranaenses reconhecidas por seus bons índices de conformidade com a metodologia do Programa Selo Alimentos do Paraná, que já certificou 106 micro e pequenas indústrias e agroindústrias alimentícias do Estado, nos últimos três anos. “Esse prêmio é fundamental para ampliar nossa atuação, agora no varejo. As portas estão se abrindo com o Selo, que é a coroação de trabalho feito com responsabilidade, dedicação e envolvimento dos colaboradores. Foi um grande salto da divulgação dos produtos e da empresa”, comemora Lourenço. 

Realizado pelo Sebrae/PR, em parceria com a Fecomércio PR, Fiep, Associação Paranaense de Supermercados (Apras) e Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), o Programa objetiva a melhoria de processos produtivos, aprimoramento da qualidade e boas práticas de gestão em empreendimentos de micro e pequeno porte do segmento de alimentos e bebidas, dentro do Modelo de Excelência da Gestão (MEG), da Fundação Nacional da Qualidade (FNQ). Todo o processo tem como avaliador o Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar). 

“Vale salientar que o Selo Alimentos do Paraná é uma mostra de que empresas de pequeno porte que transformam ou beneficiam alimentos e bebidas podem buscar diferenciação, sem necessidade de grandes investimentos, como uma estratégia clara de crescimento”, pontua Andreia Claudino, gestora estadual do Programa. 

Das 230 empresas participantes do Programa Selo Alimentos do Paraná, nos três ciclos, 106 alcançaram os índices para receber o Selo, em cinco categorias: Alimentos Prontos e Pré-prontos; Bebidas; Origem Animal; Origem Vegetal e Alimentos Funcionais. As quinze empresas premiadas (três por categoria), em cerimônia em abril do ano passado, tiveram a melhor pontuação em relação aos quesitos qualidade de processos e gestão empresarial. 

Além da visibilidade maior na gôndola, por levar o Selo no rótulo, e de um catálogo, que reúne todos os produtos chancelados, o Programa prevê ações de mercado, como participação em importantes feiras do setor e rodadas de negócios. Pesquisa realizada pelo Sebrae/PR, ao longo do ano passado e concluída em janeiro de 2018, aponta que 59% dos negócios contabilizaram aumento na carteira de clientes após participação nas rodadas do Selo e 63%, após a participação em feiras. 

Conquista coletiva

Para a Coaviti, cooperativa de vinho de Marialva, na região Noroeste, o Selo Alimentos do Paraná significou aumento na confiança diante do consumidor, uma vez que trouxe melhorias no manejo, gestão e comercialização. 

A obtenção do melhor índice na categoria Bebidas foi uma injeção coletiva de ânimo para os 34 cooperados, que se juntaram em 2004 para dar vida a um sonho de geração de renda. “Nós cooperados trabalhamos plantando e colhendo durante o dia, e, à noite, na cooperativa, produzindo o vinho. É bem familiar, não temos funcionários. O que nos move é o amor ao vinho”, reforça Nelson Ricieri, secretário da cooperativa. 

Primeiro lugar na categoria Alimentos Funcionais, a Verde Brasil Alimentos Orgânicos, de Piraí do Sul, na Região dos Campos Gerais, já possuía a certificação do segmento de orgânicos, mas o Selo Alimentos do Paraná trouxe mudanças determinantes para a empresa. "Fizemos a reelaboração visual de nossas embalagens, que agora são percebidas com outro valor pelo cliente", explica o sócio Luciano Solek. 

A abertura de novos mercados, principalmente em São Paulo, um dos mais concorridos em orgânicos, também é um dos ganhos do Selo, cuja conquista envolveu toda a equipe. "Comemoramos um crescimento de 20%, principalmente nas linhas de geleias. Já nos sucos de polpas, que iniciamos do zero, as vendas com as novas embalagens já representam 10% do nosso faturamento", contabiliza. 

 
Informações para a imprensa:
Savannah Comunicação Corporativa – agência licitada do Sebrae/PR
Bruna Komarchesqui (41) 9.8874-4907/ 3035-5669
Adriano Oltramari – Jornalista do Sebrae/PR - (41) 3330-5895

 

Tags: Sebrae/PR, Selo Alimentos do Paraná