Formalização

Semana do MEI desperta curiosidade de quem desejar ter o próprio negócio

Aposentado que passou 20 anos vendendo paçoca nas ruas do Distrito Federal, busca informações sobre como se tornar um microempreendedor individual

A intensa movimentação na Praça do Encontro, no centro de Ceilândia, no Distrito Federal, despertou a curiosidade de Severaldo Lorenzoni. Ao saber da abertura da Semana do Microempreendedor Individual, o aposentado de 72 anos pegou alguns folders com as explicações de como criar um pequeno negócio e os benefícios que isso pode gerar. Paulista de Presidente Bernardes, Severaldo esclareceu dúvidas e até sugeriu alguns tipos de comércio e serviços que os futuros MEI poderiam abrir, como quiosques, uma banca de feira, entre outras alternativas.

Paulista, como é conhecido há anos em Ceilândia, passou 20 dos seus 72 anos, pelas ruas da região administrativa do Distrito Federal vendendo paçoca. Ele conta que não tem família e vive da aposentadoria que ganha da Previdência Social. “Eu já trabalhei muito na minha vida e quero parar um pouco agora”, afirma. Durante a abertura da Semana do MEI, conversou com vários outros interessados em ter seu próprio negócio. “Eu vim por curiosidade, mas esse negócio parece ser uma coisa muito boa”, observou Severaldo, ao se referir ao microempreendedor individual.

Grande parte das pessoas que procuraram os postos do Sebrae em Brasília, no primeiro dia da Semana MEI, já portavam documentos para a abertura de seus pequenos negócios, enquanto outros se dirigiram aos guichês para receber orientação sobre a constituição de um MEI. “Nosso papel é possibilitar o acesso a toda e qualquer informação necessária para que o Microempreendedor Individual saia da informalidade e alcance o potencial completo de seu negócio”, explicou o diretor técnico da instituição, Bruno Quick.

Educação Financeira
No mesmo período da Semana do MEI, de 20 a 26 de maio, acontecerá a Semana Nacional de Educação Financeira, com ações direcionadas também a auxiliar a gestão financeira do MEI. Pesquisa do Sebrae apontou, em 2018, que 77% dos microempreendedores individuais ouvidos nunca fizeram capacitação em finanças, 50% deles preferem registrar o controle dos gastos e investimentos em papel e 34% não conseguem manter seus pagamentos em dia. Neste contexto, o Sebrae adotou as finanças como tema da Semana do MEI deste ano e conciliou toda a sua agenda de capacitações em gestão financeira voltada ao MEI, trazendo orientações para que este se torne mais competitivo e tenha no controle de gastos um aliado para se tornar a cada dia mais competitivo. Já são mais de 2 mil eventos voltados a educação e gestão financeira planejados para o período.


10 anos do MEI
Em julho, o país comemora 10 anos do surgimento dos primeiros Microempreendedores Individuais, criados pela Lei Complementar 128, de 2008. O MEI foi criado para facilitar a formalização, criando condições únicas para os empreendedores brasileiros. A Lei Complementar 128 foi sancionada em dezembro de 2008, mas entrou em vigor apenas em julho 2009, e possibilitou que em uma década, mais de 8,3 milhões de trabalhadores se formalizassem. A legislação que beneficia diretamente o MEI tem passado por várias mudanças, uma das principais diz respeito ao limite de faturamento anual que sofreu duas alterações ao longo do período. A primeira em 2012, que levou esse limite de R$ 36 mil para R$ 60 mil. A segunda, no ano passado, quando o teto de faturamento foi reajustado para R$ 81 mil. Com o aumento da faixa de faturamento, empreendedores que exerciam outras atividades também tiveram mais chances de se formalizar.

Mais informações, acesse:
www.sebrae.com.br/semanadomei2019
http://www.semanaenef.gov.br/

 

 Assessoria de Imprensa Sebrae 

Telefone (61) 3348-7570 / (61) 3348-7754