Meio Ambiente

Cinco dicas para fazer o seu negócio mais sustentável

Na Semana Nacional do Meio Ambiente, pesquisa feita pelo Sebrae mostra que as micro e pequenas empresas estão engajadas à causa

Uma pesquisa feita pelo Sebrae, em 2013, já observava que a sustentabilidade havia entrado de vez na pauta dos pequenos negócios. Naquele ano, grande parte dos entrevistados admitiram que o comprometimento com o tema abria oportunidades de ganhos maiores. Entre os benefícios observados pelos empresários estavam a redução de custos por causa da melhor gestão ambiental, valorização da empresa diante do poder público e da sociedade, aumento da possibilidade de contratos com grandes corporações, entre outros fatores.

O comprometimento do micro e pequeno negócio foi confirmado novamente em 2018, por uma nova pesquisa feita pelo Centro de Sebrae de Sustentabilidade (CSS), localizado em Cuiabá. O levantamento realizado com mais de 1,8 mil empresários do segmento, indicou quais os motivos que os levam a adotarem práticas sustentáveis - eficiência energética, uso eficiente de água, gestão de resíduos, apoio à comunidade local, entre outras. O primeiro deles foi a preservação ambiental (67%), redução de custos (20%), marketing e propaganda (4%) e cumprimento da legislação (2%). Conforme a pesquisa, 97% dos entrevistados substituíram lâmpadas incandescentes por fluorescentes econômicas e LED, enquanto que 74% possuem horários definidos para ligar e desligar equipamentos e 68% trocaram equipamentos ou maquinários por outros mais eficientes. Quanto ao uso da água, os donos de pequenos negócio também já estão se conscientizando sobre o seu uso, sendo que 60% dos entrevistados declararam ter alguma prática para economizar esse recurso, 48% instalaram vasos sanitários acoplados com descarga de duplo acionamento, 45% fazem reaproveitamento de água (pias, chuveiro) para fins não potáveis (lavar pisos, regar plantas e jardins, lavar automóveis), e 29% fazem captação de água da chuva.

A mesma evolução foi observada quanto aos resíduos sólidos, sendo que 81% dos entrevistados na pesquisa do CSS adotaram alguma iniciativa para separação e destinação correta dos resíduos. Outros 87% separam resíduos não recicláveis (úmidos) dos recicláveis (secos) para encaminhar à reciclagem e 71% separam resíduos perigosos (lâmpadas, óleo, pilhas e baterias, eletrônicos) para coleta por empresa especializada.

Com a proximidade da semana Mundial do Meio Ambiente, o Sebrae preparou cinco dicas para quem quer tornar seu negócio ambientalmente sustentável.

Confira essas e outras dicas no Canal do Sebrae no Youtube.

 

1 – Planejamento estratégico
Adote a sustentabilidade no coração da sua empresa, estando presente em todas a suas atividades, pois a sustentabilidade não é apenas um departamento da empresa. Procure saber quais são os aspectos da sustentabilidade mais importantes no seu segmento. Utiliza muita energia ou água? Onde estão os desperdícios? As matérias primas para fabricação ou prestação de serviços são poluentes? Existem alternativas para produzir como menor impacto e de maneira mais econômica? Se não, como sua empresa irá mitigar estes impactos? Além disso, quais são as condições de vida das pessoas que estão ligadas à sua empresa? O impacto social é positivo ou negativo?

2 – Gestão ambiental
• Economia Circular - verifique o ciclo de vida de seus produtos ou serviços (saiba todas as etapas do processo de fabricação ou criação até entregar o produto/serviço nas mãos de seu cliente e onde poderá reduzir, reutilizar, recuperar e reciclar materiais e energia.)
• Planejamento (compra de insumos de procedência sustentável)
• Logística reversa (viabilize a coleta e a restituição dos resíduos sólidos, para reaproveitamento, em seu ciclo ou em outros ciclos produtivos, ou outra destinação final ambientalmente adequada)
• Matéria-prima confiável (ver o histórico do seu fornecedor, o que está comprando se vem de fonte renovável, baixo impacto ambiental e mão de obra responsável)
• Design sustentável (produtos e serviços com sintonia nas questões ambientais, na sua produção, utilização e descarte)
• Neutralização de carbono (compra crédito de carbono ou cotas de reflorestamento em empresas certificadas)
• Licenciamento ambiental (obtenha o licenciamento para as atividades que exigirem)

3 – Uso eficiente da água
Fique atento a vazamentos e desperdícios no dia a dia da empresa. Instale novas tecnologias, como arejadores nas torneiras, e analise o modo de fabricação de seu produto ou prestação de serviço para encontrar novas formas de reduzir o consumo de água. Procure utilizar produtos de limpeza biodegradáveis e antes de lavar o estabelecimento, use a vassoura para retirar a sujeira pesada e utilize um balde com sabão e outro com água limpa, que deve ser reutilizada sempre que possível. Faça campanhas estimulando a economia de água por seus clientes e funcionários.

4 – Gerenciamento de resíduos sólidos
Analise o método de fabricação de seu produto ou prestação de serviço para encontrar formas de reduzir a geração de resíduos, como sobras e aparas. Muitas vezes é possível produzir mais, gastando menos matéria-prima e gerando menos resíduo. Os produtos recicláveis podem ser encaminhados para cooperativas de catadores, enquanto que o orgânico, para a compostagem e os perigosos (pilha, baterias, óleos, pneus), para empresas especializadas. Outros tipos de resíduos podem ser vendidos e gerar renda, como metais e óleo de cozinha. Além disso, atentar às regras da Política Nacional de Resíduos Sólidos, lei nº 12305/10.

5 – Uso eficiente de energia
Prefira sempre a iluminação natural, por isso abra janelas e deixe a luz do sol entrar. Pinte as paredes com cores claras, pois elas refletem os raios solares e deixam o ambiente mais fresco, gastando menos com ar condicionado. Instale equipamentos que consumam menos energia e use aparelhos elétricos de maneira correta como está indicado no manual. Limpe os filtros do ar-condicionado, já que a sujeira impede a livre circulação do ar e força o aparelho a trabalhar mais. Tenha cuidado com os fios mal emendados, desencapados e mal isolados, pois eles podem causar fuga de energia e originar incêndios. Troque lâmpadas comuns por lâmpadas fluorescentes ou de LED e desligue o computador quando não estiver em uso, evitando as proteções de tela. Estude a possibilidade de adotar energias alternativas no seu negócio, como solar fotovoltaica ou eólica.

 

Assessoria de Imprensa Sebrae
Telefone (61) 3348-7570 / (61) 3348-7754