Inteligência artificial

Empresários de TI apostam em ferramenta para aumentar competitividade nos negócios

Workshop realizado no Sebrae/PR foi comandado por empresário norte-americano que é referência em Inteligência Artificial e Machine Learning aplicado em pequenas empresas

Imagine que temas como Inteligência Artificial e Machine Learning, em muito pouco tempo, vão fazer parte do cotidiano de todos os brasileiros. E não será preciso ser um expert em tecnologia, nem um profissional que atua neste ramo. O simples fato de estar conectado já inclui a maioria das pessoas neste universo, mesmo sem saber. Foi para preparar as empresas especializadas em Tecnologia da Informação a enxergar oportunidades de negócios neste cenário que o Sebrae trouxe, de forma inédita, uma das maiores referências neste assunto para um workshop em Curitiba.

O evento, que ocorreu nesta quarta-feira (29), por uma parceria entre a entidade com a Wayra – aceleradora de negócios da Telefônica – e a BigML, empresa comandada pelo norte-americano, Poul Petersen, reuniu 45 empresários, programadores e estudantes, do Paraná e de outros estados, para aprofundarem seus conhecimentos. É a segunda vez que a BigML realiza o curso Escola de Verão no Brasil, sendo a primeira vez em Curitiba.

O conteúdo teórico e prático é destinado a quem já tem conhecimento básico das ferramentas de Machine Learning para que possam se aprofundar nesta temática que já está transformando diversos setores da economia com o desenvolvimento de novos produtos e serviços. O encontro proporcionou o conhecimento de técnicas rápidas, úteis e práticas de como utilizar os conceitos para melhorar a performance e aumentar a competitividade das empresas.

“Os conceitos de Inteligência Artificial e Machine Learning não estão restritos às empresas de tecnologia. Estarão embarcadas em produtos e serviços para serem utilizados em todos os ramos de negócios. Eles fazem correlações de dados para projetar, com maior precisão, o que vai ocorrer no futuro. Por isso, são ferramentas estratégicas e importantíssimas para gerar competitividade, impulsionar o crescimento e melhorar os resultados”, resumiu o diretor de Operações do Sebrae/PR, Julio Cezar Agostini.

Segundo ele, ao viabilizar a realização do evento, o Sebrae democratiza o acesso ao conhecimento para que as empresas possam dinamizá-las em seus segmentos de atuação. “O diferencial deste encontro é que os participantes fizeram uma oficina, onde tiveram experiências práticas de como utilizar os conceitos para poderem avaliar o uso em seus negócios e para enxergarem oportunidades de inovação, modernização de processos e desenvolvimento de novos produtos e serviços para expandir suas atividades”, comentou.

O CEO da BIGML, disse que apesar da teoria técnica, que envolve cálculos matemáticos e conhecimento de estatística, o curso equilibrou o conteúdo com aspectos educacionais e práticos que a ferramenta pode acarretar. “Quisemos dar uma noção de como as coisas funcionam, de forma simples. Outro aspecto relevante é que o foco não é o resultado imediato, mas no longo prazo. Não esperamos usar a ferramenta e ganhar dinheiro amanhã, mas para preparar empresas e profissionais para serem bem-sucedidos nos próximos cinco a 10 anos”, afirmou.

Uma dúvida comum e relevante pairou sobre participantes e organizadores. Os conceitos de Machine Larning são aplicáveis aos pequenos negócios? E a resposta do palestrante foi enfática. “Sim, com certeza são. Muitas empresas que participaram do curso são startups que, muitas vezes, concorrem no mercado com empresas muito maiores e bem estruturadas. E ali estavam ganhando conhecimento para inovarem e aumentarem sua competitividade no disputadíssimo mercado brasileiro. Estas empresas, se continuarem investindo em conhecimento, com certeza, vão “incomodar”, no bom sentido, os grandes players do mercado”, reforçou.

Norte-americano, Poul Petersen

Um dos responsáveis pela realização do evento, o head de parcerias estratégicas da Wayra, Pedro Riviere, disse que ficou feliz por contribuir na viabilização do evento. “Graças a este projeto global da Telefônica, o Open Future, que circula por muitos países e já investiu em projetos de mais de 700 startups no mundo, incluindo a BigML, conseguimos incluir o Brasil no roteiro. Foi uma grande oportunidade de aprendizado para os empreendedores paranaenses terem acesso ao conteúdo do Poul Petersen, que é pioneiro no tema Machine Learning”, contou.

O empresário da Cinq, do setor desenvolvimento de softwares Carlos Alberto Jayme, disse que está sempre atento às novas tecnologias e que os ensinamentos vão ajudar a traçar os próximos passos da empresa. “Já trabalhamos com estes conceitos em nossas atividades. Trouxe mais cinco profissionais aqui para que possamos nos aprofundar no aprendizado da ferramenta”, informou.

Leonardo Naressi de Sá, da DP6, consultoria de análise de resultados de Marketing, contou que o dia foi produtivo mesmo para quem já está familiarizado com o tema, como ele. “Já utilizo a ferramenta há três anos. Mas, aqui, pude conhecer detalhes-chave e esclarecer dúvidas para escolher as melhores técnicas de utilização e obter resultados mais rapidamente e com maior eficiência”, declarou.

Por fim, Thiago Garcez, sócio da Escotta Consultoria, disse que a área de desenvolvimento de produtos da empresa está amparada em conhecimentos de Inteligência Artificial e que o workshop foi fundamental para aprender como extrair as melhores informações da ferramenta. “De forma didática, conseguimos esclarecer pontos para ganharmos tempo e atuarmos de forma mais estratégica na utilização da ferramenta”, concluiu.

 

Informações para a imprensa:
Savannah Comunicação Corporativa - empresa licitada do Sebrae/PR
Assessoria de Imprensa Sebrae/PR: Patrícia Gomes (41) 9.8814-0721/ 3035-5669
Adriano Oltramari – Jornalista do Sebrae/PR - (41) 3330-5895

Tags: Inteligência artificial, Sebrae/PR