Fiep e Sebrae/PR

Industriais devem começar a retomar investimentos em 2018, aponta pesquisa

63,57% do empresariado está otimista em relação ao ambiente de negócios

O industrial paranaense olha para 2018 com mais otimismo do que esperava por 2017. Um estudo feito pela Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), em parceria com o Sebrae/PR, mostra que 63,57% do empresariado está otimista em relação ao ambiente de negócios, é o melhor dado desde 2015 e equivalente ao registrado em 2009 – momento em que a crise internacional afetava os negócios.  Opinaram respondendo estar pessimistas 5,78% e outros 30,65% estão em dúvida de como será o cenário do próximo ano. O levantamento é a Sondagem Industrial, estudo divulgado nesta segunda-feira (11), em Curitiba. 

“O empreendedor está um pouco mais otimista. Ele percebeu que se ficasse esperando a crise passar, seria engolido por ela. Conseguiu descolar um pouco deste cenário e se voltar para dentro do seu negócio, percebendo oportunidades”, destacou o presidente da Fiep, Edson Campagnolo. Segundo ele, uma perspectiva melhor para os próximos anos vai depender do resultado das urnas em 2018. “Tem números que mostram que a crise tende a se reverter, permitindo uma retomada do crescimento, mas isso vai depender muito do cenário político”, enfatizou. 

O estudo mostra que o percentual de industriais otimistas é maior do que o registrado no ano passado, quando o levantamento mostrou que 55,11% do empresariado paranaense via 2017 de maneira favorável. Mesmo que esse valor represente uma melhora significativa em relação a 2017, o indicador está abaixo dos períodos com histórico de percepção otimista, com níveis acima dos 70 pontos. Desde de 96, o pior ano em relação ao otimismo foi 2016 quando apenas 32,89% dos industriais mostraram boas expectativas em relação ao próximo ano. 

Otimismo x pessimismo 

Dentre os industriais que acreditam que 2018 será um ano favorável para os negócios, 26,87% indicam que farão novos investimentos. Mais da metade deles acredita que haverá aumento de vendas e outros 22,20% sinalizam que vão contratar mais. 

Já entre os pessimistas, que apontam uma expectativa desfavorável para o próximo ano, 51,43% deles não farão nenhum novo investimento em 2018. 

Estratégias para condução dos negócios 

Para 2018, a principal estratégia que será adotada pelo setor industrial será para desenvolvimento de negócios. Mais da metade dos empresários (53,77%) sinalizou isso. Satisfação do cliente ocupa a segunda posição, com 51,01%. Já a pesquisa, desenvolvimento e inovação de produtos será um caminho a ser seguido por 33,42% do setor industrial. 

Dentre as empresas que irão fazer novos investimentos, 41,46% dos empresários vão investir em melhoria de processo, outros 37,94% em produtividade e aqueles que vão apostar em desenvolvimento de produtos somaram 35,93%. Entre os que irão investir no próximo ano, 64,57% afirmaram que vão utilizar recursos próprios. 

Quando o industrial olha para 2017, ele afirma que os aumentos de produtividade que as indústrias registraram, se devem, em primeiro lugar, ao melhor gerenciamento de pessoal, com 42,71% das respostas. 

Para continuar crescendo e inovar, os industriais paranaenses executam, principalmente, estratégias em modernização tecnológica, com 26,13% das indústrias. Outros 20,35% disseram que inovam por meio da gestão da propriedade industrial e intelectual. 

Ganhos e desafios para a competitividade 

Mais da metade (52,80%) das indústrias afirmaram que mantiveram a competitividade dos seus negócios em 2017. Outros 34,18% ganharam e 12,39% perderam. 

Os itens que impactaram negativamente na competitividade internacional das suas empresas foram a carga tributária, a burocracia e os encargos sociais elevados. Também foram indicados problemas estruturais da economia brasileira como responsáveis pela dificuldade em concorrer no comércio exterior, o principal deles é o custo do transporte, com 32,16% das respostas. 

Micro e pequenas indústrias 

O estudo reserva uma parte especial para os pequenos negócios. Para montar a Sondagem Industrial 2017/2018 V Edição Micro e Pequenas Industriais, foram ouvidas 237 empresas industriais de micro e pequeno porte em diversas regiões do Estado. As MPEs que juntas geram em torno de 17,5 mil empregos, responderam a um questionário com seis áreas contanto produtividade; competitividade; estratégias de maior importância, de venda e de compra; qualidade; infraestrutura; meio ambiente e assuntos internacionais.  

No segmento, 60% têm nível de expectativa favorável para 2018, com a projeção de novos investimentos (23,95%), aumento de vendas (55,69%) e aumento de emprego (20,36%).  

 “Ouvir micro e pequenos empreendedores da indústria e entender suas expectativas gera a oportunidade de direcionar ações para auxiliá-los. Neste cenário, podemos ver que as estratégicas de maior relevância para 2018 atribuídas pelos empreendedores envolvem satisfação do cliente, desenvolvimento de negócios e inovação, em que o Sebrae/PR têm linhas e projetos para atender essa demanda”, destacou o diretor-superintendente do Sebrae/PR, Vitor Roberto Tioqueta. 

Sobre o estudo 

Parte dos processos de pesquisa sistemática realizados pela Fiep, a Sondagem Industrial é consolidada nos indicadores de desempenho industrial produzidos e divulgados mensalmente. 

O objetivo da sondagem anual é disponibilizar um panorama do desempenho industrial paranaense, tanto no que se refere às medidas adotadas para superar os desafios atuais quanto no que se refere às perspectivas de 2017 para a indústria do Estado. Foram ouvidas 398 indústrias em todas as regiões do Estado e de todos os portes, que geram 47 mil empregos.  

Links do estudo:

http://www.fiepr.org.br/para-empresas/estudos-economicos/sondagem-industrial-1-20654-170550.shtml

 

Tags: Sebrae/PR