Mercado

Brasil apresenta oportunidades de negócio para investidores na Expo 2020 Dubai

Iniciativa realizada nos Emirados Árabes reúne diversos segmentos da economia, como agronegócio, infraestrutura, além de pequenos negócios

O presidente da República, Jair Bolsonaro, ministros de Estado e autoridades brasileiras participaram, nesta segunda-feira (15), do Invest in Brasil Forum, iniciativa da ApexBrasil e da Confederação Nacional da Indústria (CNI). O evento, realizado nos Emirados Árabes Unidos, faz parte da agenda da  Expo 2020 Dubai, que acontece até março de 2022 e é considerada uma das mais importantes feiras internacionais de negócios do mundo. O Sebrae, em parceria com suas unidades estaduais, levou para o encontro empreendedores dos estados do Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Pará, Ceará, Rondônia e Tocantins com o objetivo de apresentá-los ao mercado internacional e criar oportunidades para esses pequenos negócios com potencial exportador. Dubai é considerado um hub de comércio para vários países da Ásia e África.

O Presidente do Sebrae, Carlos Melles, acompanhando do Diretor de Administração e Finanças da Instituição Eduardo Diogo, puderam destacar o papel do Sebrae no fomento aos pequenos negócios brasileiros e a importância de mostrar ao mundo, um Brasil mais produtivo, competitivo, sustentável e inovador.

O presidente Jair Bolsonaro encerrou a primeira parte do Fórum e, durante seu pronunciamento, lembrou da forte presença dos árabes e da influência cultural deles em território brasileiro. Bolsonaro apresentou o ambiente de negócios do Brasil e os convidou a visitar o país.

Em sua fala de apresentação, o presidente da ApexBrasil, Augusto Pestana, expôs aos árabes os setores no Brasil que estão abertos aos investidores estrangeiros: infraestrutura, energia, turismo, agronegócio, indústria, serviços e major capital. A expectativa é de que o evento promova mais de 140 oportunidades com potencial de atração de investimento de mais de US$ 10 bilhões ao Brasil. “Trabalhamos com entusiasmo para construir pontes de comércio, investimentos e internacionalização que geram milhões de empregos, e transformam vidas e que abrem conexões eternas”, afirmou o presidente da Agência.

Por sua vez, o ministro da Infraestrutura, Tarcisio Gomes de Freitas, abordou o amplo portfólio de projetos que estão disponíveis para aportes de recursos internacionais no Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) e detalhou que diversas operações no país estão abertas para seleção de concessões públicas para exploração, como o Porto de Santos (SP) e o saneamento básico. O ministro também apresentou o Programa de Autorizações Ferroviárias (Pró trilhos), que visa permitir que a iniciativa privada construa ferrovias em 14 estados brasileiros. Segundo Tarcísio, o governo federal recebeu 28 requerimentos apresentados por empresas dispostas a construir os trilhos. Com essa inciativa, o Brasil pretende dobrar a quantidade de linhas férreas até 2030 sem utilizar recursos públicos e, assim, atrair ainda mais dinheiro estrangeiro.

A importância de investimentos nesta área, considerada estratégica para o país, foi destacada pela ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina. Segundo ela, a redução nos preços dos alimentos produzidos hoje no país pode ser uma consequência positiva. “A área de infraestrutura no Brasil melhorará consideravelmente a produtividade com a redução dos custos de produção no âmbito do agronegócio. O governo brasileiro tem trabalhado arduamente para melhorar o setor de infraestrutura no país”, disse.

Intercâmbio

Para acelerar a busca de oportunidades de negócio e internacionalização de empresas, a delegação de mais de 200 empresários brasileiros que participam do Fórum Invest in Brasil também terá a oportunidade de realizar encontros com investidores árabes e indianos. Conforme o gerente de Investimentos da ApexBrasil, Adalberto Netto, o portfólio de oportunidades de investimentos apresentadas no Fórum é diferenciado e traz o melhor do Brasil para diferentes tipos de investidores do Golfo, de fundo soberanos a empresas familiares e fundos de private equity. “Além de mostrarmos o portfólio do setor público, como janelas de negócios na área da energia e petróleo e gás, vamos levar aos árabes as oportunidades no setor privado, como energia renovável e alimentos. Novas áreas de oportunidade como construção civil e a real estate agradam muito investidores dessa região”, ressaltou Netto.

O Invest in Brasil inovará abrindo espaço para os programas de financiamento de bancos de desenvolvimento, apresentados pelo presidente do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Gustavo Montezano, e pelo presidente do New Bank Development (NBD), Marcos Troyjo. Montezano abordará o papel do BNDES no desenvolvimento da economia brasileira. Já Troyjo mostrará as áreas de cooperação no Brasil que podem ser exploradas pelo banco de desenvolvimento dos BRICS, do qual os Emirados Árabes foram recentemente admitidos.

Pequenos negócios

Apesar das micro e pequenas empresas representarem 99% dos empreendimentos brasileiros, o número de empresas que exportam e, principalmente, o valor exportado, ainda é baixo. Atualmente, das 25 mil empresas brasileiras que exportam, uma a cada três (8,4 mil), são de pequeno porte e respondem por apenas 1% dos valores negociados. “Temos um grande desafio pela frente, que é preparar as empresas brasileiras para a internacionalização e aumentar a quantidade de negócios exportadores e o valor que é exportado”, afirmou o presidente do Sebrae, Carlos Melles. “Há uma grande variedade de oportunidades na Expo 2020 Dubai que devem ser aproveitadas e essa também é uma ótima vitrine para atrair parcerias e investidores. Essa ação visa abrir um mercado promissor para as nossas micro e pequenas empresas”, complementa o presidente do Sebrae.