Emprego

Em 2021, pequenos negócios geraram mais de 71% de todas as vagas de emprego

Resultado confirma as MPE como as maiores responsáveis pela manutenção do nível de ocupação no país, com quase 1,2 milhão de vagas a mais que as médias e grandes empresas

As micro e pequenas empresas são as maiores responsáveis por mais de 71% dos 2,5 milhões de empregos gerados no Brasil, entre janeiro e setembro deste ano. Levantamento feito pelo Sebrae, a partir de dados do Caged, do Ministério da Economia, mostra que os pequenos negócios criaram, sozinhos, cerca de 1,8 milhão de novos postos de trabalho, ou seja, quase 1,2 milhão de vagas a mais que as médias e grandes empresas.

Setembro foi o quarto mês consecutivo em que foram criados mais de 300 mil novos empregos no Brasil, sendo que as micro e pequenas empresas responderam por 227,9 mil vagas desse total, o que corresponde a 72,5%. “Pelo nono mês consecutivo os pequenos negócios apresentam um saldo positivo e são os protagonistas por sete em cada 10 novas vagas de trabalho criadas no Brasil. As oportunidades de empregos estão nas micro e pequenas empresas”, afirma o presidente do Sebrae, Carlos Melles.

Quando analisado por setores da economia, apenas os pequenos negócios apresentam saldo positivo em todos, no mês de setembro. Entre as pequenas empresas, o segmento que mais criou vagas foi o de Serviços (103,4 mil), um dos mais afetados pela pandemia e que com o aumento da vacinação tem mostrado recuperação. “No acumulado do ano, o setor de Serviços também mostra a sua força sendo responsável por quase 30% das 2,5 milhões de novas vagas”, comenta o presidente do Sebrae.

Em segundo lugar entre os setores líderes na geração de novos postos de trabalho, no mês de setembro, está o Comércio, responsável por 54,4 mil vagas; seguido pela Indústria (37,6 mil), Construção (27,5 mil) e Agropecuária (3 mil). “O último mês de setembro apresenta o mesmo perfil observado em agosto, junho e maio. Todos os setores apresentaram saldo positivos na geração de emprego e o único saldo negativo foi registrado nas médias e grandes empresas da Construção”, analisou Melles.