Inovação

Empreendedores inovadores produziram e faturaram mais mesmo na crise

O Programa Brasil Mais oferece às micro e pequenas empresas soluções para melhorar a gestão, inovar processos e reduzir desperdícios, com melhorias rápidas, de baixo custo e alto impacto

Um estudo feito pelo Sebrae, a partir do acompanhamento de quase 5 mil empresas que introduziram inovação e melhorias no processo de gestão, mostrou que, em média, esses pequenos negócios tiveram um aumento de 52% de produtividade e um incremento de 18% no faturamento (veja mais detalhes aqui). As empresas monitoradas fizeram parte do primeiro ciclo de atividades do Programa Brasil Mais, iniciativa do governo federal em parceria com o Sebrae, Senai e ABDI, que visa aumentar a produtividade e competitividade das micro e pequenas empresas brasileiras.

O primeiro ciclo, considerado como um piloto do programa, atendeu 8 mil empresas dos estados de São Paulo, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, Sergipe e Tocantins; nos segmentos do comércio, serviços e indústria, entre os meses de novembro de 2020 e fevereiro de 2021. De acordo com os dados apurados pelo Sebrae, a melhoria de produtividade foi verificada em 56% dos negócios analisados, com destaque para as empresas do setor da indústria (77%), seguidas pelos negócios de serviços (57%) e do comércio (39%).

O presidente do Sebrae, Carlos Melles, comemora os resultados do Brasil Mais, reafirmando a perspectivas de expansão do programa. “Os dados mostram que essas empresas registraram avanços em todas as variáveis analisadas: gestão por indicadores, práticas de inovação, marketing, práticas sustentáveis e transformação digital. Esse é um resultado que merece ser comemorado. Ainda mais se observarmos o contexto econômico de crise e de pandemia, que foi registrado quando o primeiro ciclo era realizado. Vamos dar continuidade aos trabalhos, alcançando cada vez mais negócios”, destacou. A análise comparativa dos resultados alcançados pelas empresas que participaram do Brasil Mais, em seu ciclo piloto, e a Pesquisa Sebrae/FGV sobre o Impacto da Pandemia, mostra que os pequenos negócios atendidos pelo Programa registraram um faturamento, em média, 42% superior às MPE em geral.

Retorno do Programa

Ainda segundo os estudos do Sebrae, após quatro meses de participação no Brasil Mais, as empresas analisadas no primeiro ciclo geraram R$ 235,9 milhões de valor adicionado, com um acréscimo de R$ 11,5 milhões (5%), quando comparado ao início de sua participação no programa. Isso mostra que, para cada R$ 1 investido pelo Brasil Mais nessas empresas, houve um retorno de R$ 1,57 em valor adicionado mensal. Em uma projeção feita para 12 meses, seguindo o mesmo cálculo, o retorno seria de R$ 18,78 (apenas em valor adicionado criado). Em outras palavras, é possível afirmar que para cada R$ 1 investido no programa, o retorno estimado aos cofres públicos, somente em impostos, seria de R$ 1,86, em um ano (tomando como base a alíquota média do Simples e sem considerar outros encargos).

Resultados concretos

A engenheira de alimentos Dayana Fabre de Lima viu seu negócio de chocolate gourmet aumentar o faturamento em 46%, com crescimento ainda maior de produtividade (60%), nos primeiros meses deste ano. Esses números atrativos são resultados da estruturação do processo produtivo, no planejamento da produção da Cacau Serra, microempresa que atua no município Urubici (SC), conhecido pela atividade turística. Dayana foi uma das participantes do 1º ciclo do Brasil Mais.

Antes de participar da iniciativa, a Cacau Serra, empresa que há sete anos fabrica chocolates livre de gordura hidrogenada e de conservantes, não tinha controle da produção e do estoque, o que gerava gastos desnecessários com insumos e mão de obra, além da falta de produtos. Orientada por um consultor do Sebrae, a empresária se inscreveu no Brasil Mais, a partir do qual redefiniu seu processo produtivo, com planejamento e escala de produção. “Criamos um cronograma mensal definindo os tipos e a quantidade de produto por dia. Com isso, diminuí o tempo ocioso dos funcionários e passei a gerenciar o estoque. Tivemos aumento de 60% na produtividade e de 46% no faturamento”, comemora Dayana.

Atualmente, a empresa catarinense ampliou sua produção com chocolates de origem fabricados com amêndoas de cacau selecionadas de parceiros, envolvendo toda a cadeia produtiva e de valor agregado. “Como estamos envolvidos na gestão da empresa, muitas vezes precisamos de uma visão de fora para resolver questões simples”, indica Dayana, que já enxerga a área de marketing como uma próxima oportunidade de melhoria.

No mesmo período, Dennis Travagini fez decolar os negócios da Dynamine Solutions, que presta consultoria de engenharia, simulação dinâmica e estudo de confiabilidade para clientes da área de mineração, ferrovia e terminal portuário. Por meio do Brasil Mais, o empresário alcançou avanços no processo de marketing e vendas, e aumentou em 100% seu faturamento em relação a 2019 e 22% em relação a 2020.

O trabalho ao longo dos quatro meses do programa possibilitou o mapeamento da situação, a partir do qual foi desenvolvido um mapa de processos do marketing e das vendas. Hoje em dia a empresa verifica o primeiro ponto de contato dos clientes, além de trabalhar de forma mais coordenada e estratégica com os canais no Linkedin e Facebook. “O principal exercício do Brasil Mais foi deixarmos de olhar para fora e olharmos para dentro, de forma que, conseguindo melhorar a empresa, então poderíamos ir em busca do cliente. As reuniões com a facilitadora foram muito produtivas, ela fazia as perguntas certas para refletirmos e buscarmos soluções práticas”, comenta Dennis.

O Sebrae no Brasil Mais
O Sebrae utiliza no Brasil Mais a metodologia que a instituição aplica, em todo o Brasil, com o projeto Agentes Locais de Inovação (ALI). As empresas participantes recebem acompanhamento técnico para melhorarem suas práticas produtivas ou gerenciais. O Sebrae também tem participação no fornecimento de manuais de melhores práticas produtivas e gerenciais, e-books, cursos de capacitação, ferramentas para avaliação de maturidade das empresas relacionadas às práticas produtivas, gerenciais e digitais, que estão disponíveis no portal do Brasil Mais.

A meta do Sebrae no programa é atender 105 mil empresas em dois anos, sendo que o ciclo de atendimento em cada uma das empresas dura quatro meses. Para isso, um time de 1.016 Agentes Locais de Inovação está preparado para atuar em todos os estados brasileiros. Até o momento, 22.250 empresas já passaram pelo programa e outras 22 mil se encontram em atendimento.