Startup Summit

Mulheres de negócios: empreendedorismo feminino é incentivado no Startup Summit 2021

Um dos maiores eventos de inovação da América Latina contou com a liderança feminina em painéis, estandes e exposições

Apesar dos avanços, a participação das mulheres no ecossistema de inovação ainda não se equiparou a dos homens. O Startup Summit 2021, um dos maiores eventos de inovação da América Latina, realizado pelo Sebrae, em parceria com a Associação Catarinense de Tecnologia (ACATE), enfatizou a importância de ações que se comprometam com o fomento da participação feminina em iniciativas de tecnologia e inovação. Entre as mais de 20h de conteúdo do evento, mulheres lideraram painéis, estandes de produtos, exposições e outras atrações.

Luana Bittencourt, CEO da Razonet, startup que oferece soluções contábeis, participou do Summit como expositora. A empreendedora conta que, assim como no seu estande, na sua empresa as mulheres são maioria em cargos de liderança. “80% do quadro é feminino, na nossa cidade tem uma empresa super tradicional de contabilidade que investe na Razonet. Percebo que aqui na feira chamamos atenção por ser um estande formado só por mulheres”, observa.

De acordo com Luana, independente do gênero, para se destacar no mundo da inovação é necessário ter características como resiliência, adaptabilidade e sede de conhecimento. “No nosso caso, resolvemos problemas para as empresas, nenhum problema é igual ao outro, é preciso estar atento a isso. Tem que ter percepção para solução de problemas, seja de gestão, de tecnologia, de contabilidade...”, diz.

Para a head de novos negócios da Bloco, Rosana Zampieri, ver a participação das mulheres crescendo no ecossistema de inovação é motivo de comemoração e orgulho. “O mundo das startups é ligado à inovação e correr riscos. Por muitas vezes, vejo que existe um mito de que a figura feminina carrega uma certa fragilidade. É questão de quebrar os tabus mesmo”, comenta. Rosana argumenta que há, ainda, um fator estrutural que pesa contra as mulheres, pois em muitos momentos, precisam exercer e escolher entre a figura de mãe, empreendedora, esposa, profissional. “É importante dar espaço, dar voz, representatividade e acolhimento às mulheres”, completa.

A coordenadora nacional do Sebrae Delas, programa de incentivo às mulheres nos negócios que já atendeu mais de 10 mil empreendedoras, Renata Malheiros, reforça a importância de fomentar a inserção feminina no ecossistema de inovação. “É necessário um trabalho em conjunto para mudar a mentalidade da sociedade brasileira. Iniciativa pública, privada, gestores, investidores e todas as pessoas que compõe as cadeias produtivas precisam eliminar preconceitos de gênero que são introduzidos desde a infância”, sugere.

Atração 100% feminina

O painel Tração em Vendas: Expectativa vs Realidade trouxe três empreendedoras para falar sobre o tema. Paula Lunardelli, da Prevision, Daniele Amaro, da Paytrack e a coach de vendas  Daniele Prim bateram um papo sobre como desmistificar os processos de venda e fidelizar clientes. Lunardelli destacou que para vender é preciso conhecer como o cliente compra, entender todo o processo de captação e decisão. “Eu não consigo vender para o cliente se eu não entender como ele compra. Por quantas pessoas passam o processo decisório? Quando focamos nisso, vemos o nível de escalabilidade crescer muito”, afirma. 

Daniele Amaro pontuou que muitas vezes o empreendedor quer começar vendendo muito para todos os clientes, sendo que muitas vezes você pode “trabalhar” o perfil de compra após a captação. “Não dá para vender espeto corrido àqueles que querem só um bife. Muitas vezes para encantar o cliente, você vende só o produto que ele deseja e depois começa a expandir. Quando ele estiver na sua base, se relacionando com suas soluções, será mais fácil tornar ele um ‘grande cliente’”, recomenda.