Políticas Públicas

Novas regras facilitam negociação dos recebíveis pelos pequenos negócios

Medida do Banco Central também permite que as micro e pequenas empresas utilizem recursos como garantia de crédito

A partir desta segunda-feira (7), os donos de pequenos negócios podem negociar os recebíveis do cartão com mais liberdade e segurança. Com a entrada em vigor de novas regras do Banco Central, o empreendedor poderá negociar sua agenda de recebíveis de forma mais flexível, e também utilizar os recebíveis como garantia para tomada de crédito em diferentes instituições financeiras.

De acordo com o analista de Capitalização e Serviços Financeiros do Sebrae, Giovanni Beviláqua, as mudanças trazidas pela nova norma de recebíveis regulamentada pelo BC desempenham um papel importante na recuperação das micro e pequenas empresas. Segundo ele, de agora em diante, os empreendedores vão ter condições de ter uma agenda de recebíveis com melhores condições de negociação. “A expectativa é que os pequenos negócios consigam mais acesso ao crédito, dificultado por falta de garantia, considerada uma das grandes barreiras ao mercado, ou pela falta de histórico de operações de crédito junto às instituições”, comentou.

De acordo com a regulamentação do Banco Central, por meio da Resolução 4.734, todas as informações das transações comerciais feitas pelas empresas por meio de cartão serão “anotadas” em registradoras de recebíveis que, além de atestar a existência dos recursos, poderão disponibilizá-los para instituições financeiras interessadas, com anuência dos empresários. “As informações sobre os fluxos de pagamento vão estar disponíveis para as instituições credenciadas e, cabe ressaltar que são informações relevantes que antes eram restritas ao banco ou instituição onde o empresário realiza operações”, explicou o analista do Sebrae.

Outro ponto importante com as novas regras diz respeito ao fim da chamada trava bancária. Segundo o Giovanni, antes o empresário ficava impedido de negociar os recebíveis com diferentes instituições. “Com a eliminação da trava bancária, o dono de pequeno negócio não precisa ficar amarrado em um único banco ou instituição e poderá negociar seus recebíveis, buscando melhores taxas e condições seja para antecipá-los ou como garantia para uma tomada de crédito”, explicou.

O analista destaca ainda que as garantias provenientes dos recursos a receber são consideradas melhores opções para o empreendedor. “O melhor dinheiro para uma empresa vem do seu cliente e esses recursos vão ser derivados exatamente das vendas”, acrescenta.