Empreendedorismo

O Rally dos Sertões é dos pequenos negócios

Entenda as principais atividades econômicas das cidades visitadas pela competição, que começou na última sexta-feira (13)

Ao cruzar pequenas cidades do interior nordestino, onde a base econômica é sustentada por micro e pequenas empresas, o Rally dos Sertões 2021 promoverá um conjunto de transformações econômicas e sociais positivas na região. Seja por meio do selo “Turismo Confiável” ou das diversas capacitações que uma parceria entre Sebrae e o Rally vão deixar como legado. Nos seis estados situados na rota da competição, 350 pequenos negócios estão preparados para receber os mais de dois mil participantes, entre pilotos, navegadores, mecânicos e equipes de apoio, nos 10 dias de duração da prova. 

O município de Tibau do Sul (RN), que abriga a famosa praia de Pipa, de onde foi dado início à competição, no dia 13 de agosto, totaliza 2.322 empresas, sendo 1.176 microempreendedores individuais (MEI), 917 microempresas e 84 empresas de pequeno porte. Na cidade, os segmentos de restaurante e hotelaria são responsáveis por 275 e 172 empresas, respectivamente, e os demais negócios estão distribuídos entre as atividades de comércio de roupas e acessórios, lanchonetes, agências de viagem, comércio de suvenires e artesanato, e bebidas. Cenário bem diferente do encontrado no sertão paraibano, onde a cidade de Patos conta com um número três vezes maior de empresas (7.521), divididas entre 4.235 MEI, 2.618 ME e 356 EPP. No município, a principal atividade é o Comércio de Roupas e Acessórios (550), seguido por Serviços de Taxi (263), Comércio de Bebidas (168), Restaurantes (161) e Lanchonetes (157).

Já em Pernambuco, a cidade de Araripina conta com 1.696 MEI, 1.661 ME e 163 EPP, sendo as principais atividades o Comércio de Roupas e Acessórios (207), Restaurantes (75), Lanchonetes (69), Serviço de táxi (53) e Varejo de Bebidas (41). Petrolina, por sua vez, se destaca como o município localizado no percurso do Rally que concentra o maior número de negócios (27.482). Na cidade, predominam os microempreendedores individuais (16.224). Petrolina também é dominada pelo segmento de Comércio de Roupas e Acessórios (1.676) e conta ainda com Táxi (1.154), Lanchonetes (760), e Restaurantes (670). Ainda no estado, a pequena Tamandaré é a cidade com o menor número de empreendimentos, sendo 1.016 MEI, 512 microempresas e 53 empresas de pequeno porte.

Mais ao norte da região que será percorrida pelo Rally dos Sertões, São Raimundo Nonato (PI) soma 908 MEI, 1.152 ME e 108 EPP. E na Bahia, o município de Xique Xique reúne 1.743 MPE, sendo aproximadamente metade delas inscritas como microempreendedores individuais e a outra metade como microempresa. No estado de Alagoas, o último a ser visitado pelos competidores, na cidade de Delmiro Gouveia, das 2.747 MPE, 52% delas são microempreendedores individuais, 40% são de microempresas, com foco no Comércio de Roupas e Acessórios (244), Lanchonetes (79), Restaurantes (57), Táxi (55) e Comércio Varejista de Bebidas (51). Fechando a grande rota dos sertões, Arapiraca apresenta atividade econômica mais movimentada, totalizando 14.127 empresas, com representação majoritária de Comércio de Roupas e Acessórios (1.067), Táxi (461), seguido de Lanchonetes, Restaurantes, Serviços ambulantes de alimentação e Comércio Varejista de Bebidas.

Sebrae e Rally dos Sertões

Em parceria com o Rally dos Sertões, o Sebrae capacitou 350 pequenos negócios nas cidades por onde a caravana de competidores e equipes de apoio passarão, com foco nos protocolos de biossegurança e na concessão do selo “Turismo Confiável” a esses estabelecimentos, estimulando o consumo por parte dos integrantes do Rally. O Sertões, que tem início no próximo dia 13 de agosto, é considerado o maior rally das Américas. Em 2021, a prova chega à sua 29ª edição, cruzando seis dos nove estados do Nordeste.

Na Trilha dos Sertões

O Sebrae começou a apresentar, desde o dia 14 de agosto, uma série com 10 episódios mostrando como as micro e pequenas empresas aproveitam a passagem do Rally por suas cidades para fazer negócios. A série está no canal do Sebrae no Youtube.