Mercado

Sebrae prepara brasileiros residentes no Japão para empreender no Brasil

Durante Webinar Sebrae no Mundo, foi apresentada nova plataforma da entidade que disponibiliza conteúdos e diversos materiais para ajudar os brasileiros que estão fora do país

Os brasileiros que vivem no Japão e querem empreender no Brasil tiveram a oportunidade de participar do Webinar Sebrae no Mundo, realizado pelo Sebrae, com o apoio dos postos consulares do Brasil no país asiático. O evento gratuito foi transmitido pelo canal do Sebrae no Youtube, na noite de sexta-feira (16), horário de Brasília. O encontrou apresentou a nova plataforma, Sebrae no Mundo , criada para fomentar a cultura empreendedora em brasileiros existentes no exterior. Além disso, a programação contou com palestras sobre empreendedorismo, inovação, bem como abordou questões relacionadas à formalização e tributação de negócios.

Na abertura do evento online, o presidente do Sebrae, Carlos Melles, reforçou o compromisso da Instituição em disseminar a cultura empreendedora para os brasileiros que estão no Brasil, no Japão e outras partes do mundo. “O Sebrae apoia os brasileiros que também estão no exterior para aprender a empreender”, declarou. Durante aos agradecimentos às autoridades japonesas, Melles também destacou a contribuição do Espaço Empreendedor Brasileiro (EEB), instalado desde 2018 nas dependências do Consulado Geral do Brasil, em Hammamatsu.

Na ocasião, o embaixador do Brasil em Tókio, Eduardo Paes Saboia, ressaltou a importância do empreendedor brasileiro no país asiático. “Do ponto de vista da embaixada, o empreendedor brasileiro no Japão é um importante ativo para as relações bilaterais. Capacitados e bem-organizados, serão, sem dúvida, estratégicos para o fortalecimento das atividades econômicas para os dois países, lançando mão das novas tecnologias para encurtar distâncias”, declarou.

Na primeira palestra, o gerente de Relacionamento com o Cliente do Sebrae, Ênio Pinto, conduziu um bate-papo onde contextualizou o momento atual vivido pelos empreendedores brasileiros diante das intensas mudanças trazidas pela pandemia. Ao destacar o empreendedorismo como opção de carreira, ele explicou que o cliente deve ser a razão de ser de qualquer empreendimento. “Hoje, o cliente paga preço e quer valor, que nada mais é do que a entrega de um benefício concreto por meio de uma experiência incrível”, explicou. O especialista também destacou as 10 características que compõem o perfil ideal de quem quer empreender.

Para tratar da transformação de ideias em modelos de negócios, a analista de Competitividade, Anny Santos, abordou a jornada para se tornar um empreendedor e definiu o empreendedorismo também como uma postura diante de um propósito. “Empreender é ser protagonista, descobrir novas forma de resolver problemas e se destacar por isso, mas também é deixar um legado e gerar impacto positivo na vida das pessoas”, declarou. A analista explicou os cinco passos que o potencial empreendedor deve seguir durante essa mudança de mindset e ainda analisou as características do líder de sucesso.

Já na palestra “O legado da pandemia: negócios digitais e tendências”, o gerente de Inovação do Sebrae, Paulo Renato destacou as oportunidades de negócios que surgiram durante a pandemia e devem continuar dando bons resultados. Ele destacou o aumento do comércio eletrônico no Brasil, o surgimento de novos serviços em formato híbrido de atendimento e os segmentos com maior potencial de crescimento. Além disso, deu dicas de como os brasileiros podem aproveitar a experiência no Japão para oferecer produtos e serviços que colaborem para o aumento da produtividade das indústrias do país. “O Brasil está em uma grande corrida neste sentido, então pensem como todo conhecimento que vocês estão adquirindo no Japão podem ser ofertados no nosso país para atender a uma enorme demanda por melhoria de produtividade”, orientou.

Para tirar dúvidas sobre a formalização e tributações de negócios, o gerente de Políticas Públicas do Sebrae, Silas Santiago, respondeu perguntas mais comuns feitas ao Sebrae sobre assuntos como, tributação de negócios digitais, atuação do MEI fora do país, pagamento de Imposto de Renda para quem já tem uma empresa no Japão, mas atua no Brasil, entre outras. Ele também analisou qual seria a melhor forma para um brasileiro no Japão vender produtos japoneses para empresas brasileiras. “Primeiro não é necessário abrir uma empresa no Brasil para isso pelo e-commerce. Eu recomendaria o uso de marketplaces internacionais que favorecem essas transações B2B e inclusive possuem o pagamento da tributação de forma mais facilitada, além de outras vantagens como a logística já estruturada”, explicou.

A programação do webinar também contou com a presença da coordenadora do Espaço Empreendedor do Brasil (EEB) no Japão, Vanessa Handa. Ela deu detalhes sobre como um brasileiro pode abrir um pequeno negócio no país asiático, seja como empresa jurídica ou empresa individual, que inclui profissionais autônomos, freelancers e ainda profissionais liberais prestadores de serviços ou subcontratados. O final do evento ainda apresentou os depoimentos inspiradores de três empreendedores que moram no Japão.

Conheça mais sobre a plataforma Sebrae no Mundo no endereço eletrônico: https://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/sebraenomundo